egypt
AR
belarus
BE
bulgaria
BG
bangladesh
BN
bosnia
BS
spain
CA
czech_republic
CS
germany
DE
greece
EL
usa
EM
great_britain
EN
esperanto
EO
spain
ES
estonia
ET
iran
FA
finnland
FI
france
FR
israel
HE
croatia
HR
hungary
HU
indonesia
ID
italy
IT
japan
JA
georgia
KA
india
KN
south_korea
KO
lithuania
LT
latvia
LV
india
MR
netherlands
NL
norway
NN
india
PA
poland
PL
portugal
PT
brazil
PX
romania
RO
russia
RU
slovakia
SK
serbia
SR
sweden
SV
ukraine
UK
vietnam
VI
china
ZH

Os meios de comunicação e a linguagem

A nossa língua é também influenciada pelos meios de comunicação. São particularmente importantes os novos meios de comunicação. Uma língua muito própria desenvolveu-se graças aos sms, aos e-mails e aos chats. É óbvio que esta língua dos media difere de país para país. Há, no entanto, determinados traços comuns a todas estas línguas. Enquanto usuários, valorizamos sobretudo a rapidez. Apesar de podermos usar o registo escrito, o que pretendemos é uma comunicação ao vivo. Isto significa que o que pretendemos é uma troca rápida de informações. O que fazemos é uma simulação de uma conversa real. Por esta razão, a nossa língua adquiriu um caráter mais coloquial. Muitas vezes, as palavras e as frases são abreviadas. Na maior parte das vezes, tanto as regras gramaticais como as da pontuação são ignoradas. A nossa ortografia torna-se mais livre, usamos menos preposições. Muito raramente, os sentimentos são expressos na língua dos media. Preferimos empregar os chamados ícones expressivos. São símbolos que indicam aquilo que sentimos em um dado momento. Existe, igualmente, um código próprio para os sms e até um jargão para a comunicação nos chats. Por este motivo, a língua dos media é uma língua bastante reduzida. É utilizada, no entanto, quase da mesma maneira por todos os seus usuários. Estudos demonstram que a educação ou a inteligência não representam nenhuma diferença. São, sobretudo, os jovens que preferem utilizar a língua dos media. Por esta razão, alguns críticos acreditam que a nossa língua pode estar em perigo. A ciência prefere encarar este fenômeno de uma forma menos pessimista. Até porque as crianças conseguem adequar o seu modo de escrever a cada situação. Alguns especialistas julgam que esta nova língua dos media pode até apresentar algumas vantagens. Já que poderá desenvolver a competência linguística e a criatividade das crianças. E, afinal, hoje em dia escreve-se cada vez mais: não são cartas, mas são e-mails! É bom que assim seja!

text before next text

© Copyright Goethe Verlag GmbH 2015. All rights reserved.