egypt
AR
belarus
BE
bulgaria
BG
bangladesh
BN
bosnia
BS
spain
CA
czech_republic
CS
germany
DE
greece
EL
usa
EM
great_britain
EN
esperanto
EO
spain
ES
estonia
ET
iran
FA
finnland
FI
france
FR
israel
HE
croatia
HR
hungary
HU
indonesia
ID
italy
IT
japan
JA
georgia
KA
india
KN
south_korea
KO
lithuania
LT
latvia
LV
india
MR
netherlands
NL
norway
NN
india
PA
poland
PL
portugal
PT
brazil
PX
romania
RO
russia
RU
slovakia
SK
serbia
SR
sweden
SV
ukraine
UK
vietnam
VI
china
ZH

Existirá uma Gramática Universal?

Quando aprendemos uma língua, aprendemos também a sua gramática. No caso das crianças a aprendizagem da língua materna sucede automaticamente. Não se apercebem que o seu cérebro está a aprender várias regras diferentes. Ainda assim, aprendem corretamente a sua língua materna, desde o início. Como existem muitas línguas existem também muitas gramáticas. Será que existe, no entanto, uma gramática universal? Esta questão tem ocupado os investigadores há muito tempo. Estudos recentes poderiam dar uma resposta. Pois os neurologistas fizeram uma descoberta interessante. Durante a experiência, os indivíduos tinham que aprender regras gramaticais. Estes indivíduos era aprendentes de cursos de línguas. Estudavam japonês ou italiano. Metade das regras gramaticais foi inventada. Os indíviduos que participaram nesta experiência desconheciam este facto. Após a aprendizagem, os alunos foram confrontados com várias frases. Tinham que avaliar o grau de veracidade das várias frases. Enquanto estavam a resolver esta tarefa, o seu cérebro foi analisado. Ou seja, os investigadores mediram a atividade cerebral. Assim conseguiam analisar o modo como o cérebro reagia às frases. E parece que o nosso cérebro conseguiu reconhecer as estruturas gramaticais. Durante o processamento linguístico, são ativadas determinadas áreas cerebrais. A área de Broca é uma delas. Está localizada no hemisfério esquerdo. Enquanto os alunos processavam as verdadeiras regras gramaticais, o hemisfério esquerdo esteve sempre muito ativo. Em contrapartida, no caso das regras inventadas, a atividade cerebral diminuiu consideravelmente. Pode ser que todas as gramáticas possuam a mesma base. E assim seguiriam todas os mesmos princípios. E estes princípios seriam inatos...

text before next text

© Copyright Goethe Verlag GmbH 2015. All rights reserved.