egypt
AR
belarus
BE
bulgaria
BG
bangladesh
BN
bosnia
BS
spain
CA
czech_republic
CS
germany
DE
greece
EL
usa
EM
great_britain
EN
esperanto
EO
spain
ES
estonia
ET
iran
FA
finnland
FI
france
FR
israel
HE
croatia
HR
hungary
HU
indonesia
ID
italy
IT
japan
JA
georgia
KA
india
KN
south_korea
KO
lithuania
LT
latvia
LV
india
MR
netherlands
NL
norway
NN
india
PA
poland
PL
portugal
PT
brazil
PX
romania
RO
russia
RU
slovakia
SK
serbia
SR
sweden
SV
ukraine
UK
vietnam
VI
china
ZH

As emoções também se expressam em línguas diferentes

No mundo inteiro falam-se muitas línguas diferentes. Não existe uma língua humana que seja universal. Mas o que dizer da nossa expressão facial? E a língua das emoções será universal? Não, também neste caso existem diferenças! Durante muito tempo achou-se que todas as pessoas expressavam os seus sentimentos da mesma maneira. As expressões faciais eram compreendidas de forma universal. Charles Darwin acreditava que as emoções tinham uma importância vital para o ser humano. Por este motivo, elas deviam ser compreendidas da mesma maneira em todas as culturas. No entanto, estudos recentes chegaram a outra conclusão. Demonstram que também na língua das emoções existem diferenças. Ou seja, as nossas expressões faciais são influenciadas pela nossa própria cultura. Por isso, as pessoas mostram e interpretam os sentimentos de formas diversas. Os cientistas fazem a distinção entre seis tipos de emoções primárias. São a alegria, tristeza, cólera, repulsa,medo e surpresa. Os europeus têm expressões faciais diferentes das dos asiáticos. Também ambos leem coisas distintas nas mesmas expressões. Isto foi comprovado em várias experiências. Os indivíduos envolvidos nestas experiências tiveram que olhar para vários rostos num computador. Em seguida, deviam descrever aquilo que liam naqueles rostos. Há várias razões pelas quais os resultados foram diferentes. Em algumas culturas, a expressão das emoções pode ser mais carregada do que noutras. Por isso, a intensidade das expressões faciais não pode ser compreendida de um modo universal. Além disso, as pessoas prestam atenção a diferentes coisas de acordo com as suas culturas. Os asiáticos prestam mais atenção aos olhos, quando tentam interpretar a expressão facial de alguém. Os europeus e os americanos, por sua vez, preferem olhar para a boca. Há, no entanto, uma expressão facial que é compreendida da mesma maneira em todas as culturas... Um belo sorriso!

text before next text

© Copyright Goethe Verlag GmbH 2015. All rights reserved.