egypt
AR
belarus
BE
bulgaria
BG
bangladesh
BN
bosnia
BS
spain
CA
czech_republic
CS
germany
DE
greece
EL
usa
EM
great_britain
EN
esperanto
EO
spain
ES
estonia
ET
iran
FA
finnland
FI
france
FR
israel
HE
croatia
HR
hungary
HU
indonesia
ID
italy
IT
japan
JA
georgia
KA
india
KN
south_korea
KO
lithuania
LT
latvia
LV
india
MR
netherlands
NL
norway
NN
india
PA
poland
PL
portugal
PT
brazil
PX
romania
RO
russia
RU
slovakia
SK
serbia
SR
sweden
SV
ukraine
UK
vietnam
VI
china
ZH

A gramática previne a mentira

Todas as línguas têm as suas singularidades. Algumas têm caraterísticas que são únicas em todo o mundo. Dentro deste grupo encontra-se o trio. O trio é uma língua indígena da América do Sul. É falado por cerca de 2000 pessoas no Brasil e no Suriname. O mais interessante no trio é a sua gramática. Pois obriga o falante a dizer sempre a verdade. A razão para tal reside num sufixo chamado "frustrativo". Na língua trio, este sufixo é adicionado aos verbos. Deste modo, ele revela a veracidade de uma frase. Um simples exemplo mostrará como é o seu funcionamento. Tomemos como exemplo a frase O menino foi à escola. Na língua trio, o falante é obrigado a adicionar um certo sufixo ao verbo da frase. Através deste sufixo ele informará os outros se ele mesmo viu o tal menino ou não. Pode também dizer que soube desta informação através de terceiros. Ou, através do sufixo ele estará a informar-nos de que se trata de uma mentira. O falante é, pois, obrigado a comprometer-se quanto à veracidade da informação que está a expressar. Isto é, ele tem que informar os outros se a sua afirmação é verdadeira ou não. Assim, não poderá nem manter em segredo nem "eufemizar" a informação. Quando um falante de trio omite o sufixo é acusado de ser mentiroso. A língua oficial do Suriname é o holandês. Muitas vezes, as traduções do holandês para o trio são muito problemáticas. Porque a maioria das línguas são muito menos precisas do que o trio. Permitem que os falantes sejam ambíguos. Por isso, os intérpretes nem sempre prestam atenção no grau de compromisso que o falante tem com as suas próprias palavras. A comunicação com os falantes nativos de trio torna-se, assim, difícil. Não seria útil a existência do sufixo "frustrativo" nas outras línguas!? E não apenas na linguagem dos políticos...

text before next text

© Copyright Goethe Verlag GmbH 2015. All rights reserved.