egypt
AR
belarus
BE
bulgaria
BG
bangladesh
BN
bosnia
BS
spain
CA
czech_republic
CS
germany
DE
greece
EL
usa
EM
great_britain
EN
esperanto
EO
spain
ES
estonia
ET
iran
FA
finnland
FI
france
FR
israel
HE
croatia
HR
hungary
HU
indonesia
ID
italy
IT
japan
JA
georgia
KA
india
KN
south_korea
KO
lithuania
LT
latvia
LV
india
MR
netherlands
NL
norway
NN
india
PA
poland
PL
portugal
PT
brazil
PX
romania
RO
russia
RU
slovakia
SK
serbia
SR
sweden
SV
ukraine
UK
vietnam
VI
china
ZH

Falamos todos "africano"?

Nem todos estivemos em África. Mas é possível que qualquer língua já ali tenha estado! Isto é o que, pelo menos, pensam alguns cientistas. Na sua opinião, a origem de todas as línguas encontra-se em África. E de lá se espalharam por todo o mundo. Ao todo, existem mais de 6000 línguas diferentes. No entanto, elas devem ter uma raiz africana comum. Os investigadores fizeram uma comparação entre as várias línguas. Os fonemas são unidade mínimas de significado. Ao alterarmos um fonema estamos a mudar o significado da palavra. Um exemplo retirado da língua inglesa pode exemplificá-lo claramente. No inglês, "dip" e "tip" significam duas coisas diferentes. Logo, o /d/ e o /t/ são dois fonemas distintos da língua inglesa. Nas línguas africanas esta diversidade fonética é ainda maior. Mas vai diminuindo à medida que nos afastamos de lá. E é exatamente aqui que para os investigadores reside a prova desta tese. Porque as populações ao propagarem-se tornam-se mais homogéneas. Nos seus extremos, a diversidade genética é menor. Isto deve-se aos facto de que o número dos colonos diminui. Havendo uma quantidade menor de genes que emigram, mais homogénea tornar-se-á uma população. As prováveis combinações genéticas diminuem. Deste modo, os membros de uma população migratória tornam-se mais semelhantes. Os cientistas denominam-no de efeito fundador. Todos aqueles que deixam África levaram consigo a sua língua. No entanto, havendo menos colonos, há também um menor número de fonemas. Deste modo, as línguas tornam-se mais uniformes ao longo do tempo. Parece um facto que o Homo sapiens provém de África. Nós temos curiosidade em saber se o mesmo se aplica à sua língua...

text before next text

© Copyright Goethe Verlag GmbH 2015. All rights reserved.